Cliente corporativo: a cereja do bolo do setor bancário