Nada mais é como antes: como atender aos desafios de supply chain na Era Digital?

dezembro 10, 2019

A transformação digital trouxe mudanças irreversíveis para o setor de varejo. Hoje, os clientes conseguem fazer uma pesquisa rápida entre as marcas concorrentes e encontrar aquela que entregue a melhor experiência para suas necessidades. Ou seja, se você quer garantir a sobrevivência de seus negócios, é preciso entender a tecnologia como parte essencial no desenho do plano estratégico, aproximando a marca de seu cliente.

De modo geral, o que tenho observado no Brasil é que essas mudanças digitais trouxeram uma visibilidade à necessidade de usar essas novas ferramentas para garantir produtividade e eficiência nos processos de produção e distribuição. Porém, a maioria ainda utiliza planilhas e outras soluções mais antigas para fazer seu planejamento e desenvolvimento de modelos de gestão. De acordo com uma pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Automação para o Comércio (Afrac), apenas 35% do varejo brasileiro adota estratégias digitais em seus negócios.

Se formos a qualquer indústria, encontraremos questões de supply chain endereçadas por modelos de planejamento de demanda que utilizam estatísticas, mas sem nenhum processo de autoaprendizado. Basicamente, essas plataformas levantam quais foram as demandas dos últimos 12 ou 24 meses e, baseadas nesse histórico, fazem uma projeção do que será a tendência para o futuro.

Os diagnósticos baseados em períodos até podem ser efetivos, mas com as ferramentas disponíveis hoje que nos permitem combinar dados e entender de fato o nosso público, por que não ir além? Um dos caminhos a se tomar é fazer um retrospectivo das vendas nos últimos meses para entender quais atributos - características que não mudaram de uma estação para outra, os produtos e pontos de venda possuem.

Para criar uma base de atributos é preciso coletar dados dos produtos comercializados e, assim, ter um histórico mais completo e preciso. Com todas as informações coletadas, o próximo passo é reuni-las em uma ferramenta que, através de machine learning, consegue detalhar os principais pontos para uma estratégia de vendas mais assertiva, que atenda às demandas de clientes e ainda evite a perda de recursos.

A tecnologia também pode endereçar desafios com locais de venda. Uma rede de farmácias, por exemplo, que possui unidades em diferentes zonas de São Paulo, com dinâmicas completamente distintas. Tendo mapeado a performance dos produtos em cada ponto de venda, fica mais fácil organizar, por exemplo, a periodicidade de reabastecimento de um determinado medicamento para aquela unidade.

O objetivo do supply chain é disponibilizar e entregar o produto certo, no momento certo, no local correto, a baixo custo. Hoje, ferramentas inovadoras utilizam dados e informações que geram diagnósticos, orientando sobre quais passos dar.

Um outro exemplo recente, vindo dos EUA, foi a compra da Weather, empresa de meteorologia, pela IBM. Com a aquisição, a gigante de tecnologia conseguirá coletar dados globais e permitir tomadas de decisões alinhadas com as estratégias locais. Suponhamos que uma loja que vende artigos de cama, mesa e banho utilize a soluções que consiga mapear as variações climáticas que poderão ocorrer nas próximas semanas. Com essas informações em mãos, desenhar a estretégia de vendas para o período ficará muito mais fácil e as chances de resutados positivos, maior.

Mas qual o caminho dessa jornada?

Agora que ficou claro a importância de adotar inovação em seu negócio, o primeiro passo é entender onde você quer chegar. Saiba onde seu varejo precisa chegar e quais as ferramentas que vão gerar diferenciais competitivos. Isso vai contribuir para uma performance melhor e mais assertiva.

Uma outra questão que precisa ser avaliada é se a sua empresa possui os melhores profissionais para o novo momento do negócio. Uma vez traçado o caminho, é preciso que haja comprometimento da gestão.

O gap que existe precisa ser preenchido seja pelo redesenho de projetos, ou por meio da mudança de mindset interno. A princípio, as mudanças podem ser vistas com desconfiança, mas é preciso fazer as pessoas entenderem que com as ferramentas certas, elas vão realizar trabalhos mais interessantes e com maior valor agregado.

A Era Digital trouxe um novo varejo, com clientes mais exigentes, que não aceitam mais os velhos costumes. Investir na otimização de seu supply chain é garantir ao seus negócio um lugar ao sol nesse momento disruptivo

Arquivado em
  • Supply Chain
Setor
  • Distribução
Região
  • LATAM

Conecte-se conosco

Nós entraremos em contato em breve.

Or connect via: Linkedin